Pular para o conteúdo principal

#21 – Circuito das Estações 2016 – Etapa Outono



A prova que deveria ter sido a terceira do ano, foi a segunda. A que deveria ser a segunda (talvez) será a terceira.

Esse ano resolvi participar de menos eventos. Estar lá é sempre muito bom, mas a logística é sempre complicada. Viagem, acordar cedo, acordar os outros, Fortaleza perigosa, viagem de volta, etc. Menos mal que em Fortaleza tenho vizinhos corredores. Isso melhora as coisas.

Mesmo assim, ainda não dá para descartar pelo menos uma etapa dos Circuito das Estações. É uma prova cara, que não premia categorias, não premia no geral (uma cesta de produtos alimentícios pode ser chamado de premiação?), que te faz chegar ainda mais cedo para poder retirar o chip (que é reaproveitável, e isso é bom). Uma organização que te manda um código promocional para fazer a inscrição e ganhar um brinde. E ao chegar para receber o kit, não tem o tal brinde. Uma organização que te dá a possibilidade de personalizar a camisa, e quando você chega lá, seu nome não existe. E olha que eu nem me chamo Francisgleydson!

Apesar de tudo isso, é uma das poucas que “funcionam”. Você sabe qual será o percurso, a camisa é de boa qualidade e a entrega dos kits é sem susto. Ou seja, no final das contas, dentre todas as provas realizadas em Fortaleza, é uma das que você vai receber algo bem próximo daquilo que é prometido.

Já a minha corrida, bem… Foi uma semana complicada. Tenho uma prova de 15km programada para semana que vem e fiquei meio sem saber como proceder com os treinos da semana. Ok, o correto era usar a prova de hoje apenas como treino, mas quando se é assaltado na terça, isso acaba interferindo nos planos… Aliás, você acaba ficando meio sem planos.

Na sexta a tardinha, encontrei meu parceiro Válber Leão e fomos fazer um treino rapidinho, de 40 minutos. Como o Válber tá mais (bem mais) condicionado do que eu, o que era pra ser treino leve pra mim, acabou sendo em ritmo forte. Mas valeu a pena. Meio que compensou a semana praticamente sem treinos.
largada-chuva-coelce
Esse era o clima na chegada, já quase seis da manhã. Foto: Página da Coelce no Facebook.

Chegado o dia da prova, muita chuva, claro. Fortaleza está debaixo d’água. O Válber não foi dessa vez. Nem a Marta, nem a Rosinha. Fomos Dirceu e eu. Saímos 4:30 num frio brabo para os padrões alencarinos. Chegamos lá e ficamos na dúvida: sair do carro ou não sair; eis a questão. Fomos… Pegamos o chip e ainda estava escuro. Fomos para o aquecimento e tudo escuro. Enquanto trotava ali pela Beira-Mar, encontrei o Ed Castro que deu aquele incentivo: “Bora Marção”. Detalhe: conheci o Ed primeiro na Matrix, ops, Facebook, e depois no “mundo real”. É muito massa quando o ídolo dá um alô pro fã. Sim, o Ed é fotógrafo e admiro demais o trabalho dele.

Continuando o aquecimento, gastei uns 30 minutos no aquecimento e só parei às 6:30 em ponto, hora prevista para a largada (e tudo escuro). Mas houve um atraso e só saímos 15 minutos depois.

O percurso de sempre e acho que as pessoas de sempre. Muita gente. Até o retorno dos 5km praticamente uma procissão para quem larga do meio pra trás. Aliás, depois que comecei a correr 10km, tenho um sonho reprimido: de gritar bem ali, no retorno dos 5km: “as crianças voltam, os adultos seguem”. Lógico que não posso dizer isso. É politicamente incorreto. Em dias atuais, posso ser chamado de Petralha, Coxinha, Homofóbico, Nazista… Saudade do tempo em que no máximo eu escutaria seria um “vai te lascar, mah”.

Voltando ao percurso, a única novidade, porém anunciada e esperada, foi o açude próximo ao Marina Park. Tivemos que ir pela calçada. Mesmo assim, não deu pra escapar de algumas poças e sinto meus pés coçando até agora.

Depois de enfrentar destemidamente a subida do IML – e sem esquecer da rapadura, desta vez -, não tivemos a passagem pela Rua dos Tabajaras, o que deve ter diminuído o percurso em uns 300 metros. No assalto da terça, me levaram a moça do GPS. Depois de umas 16 ou 17 corridas, ela não estava mais ali… Então, não sei exatamente como foi o percurso.

Para encerrar, um sprint de mais ou menos uns 700, 800 metros, mas quando vi que não baixaria de uma hora, tirei o pé. Na linha de chegada, mais uma vez o Ed Castro dando aquela força e fotografando (ansioso, estou!). Ao final, 62’06”. A meta era 65′. Mesmo com os 300 metros a menos, deu certo. Recebemos essa medalha ai que mais parece uma máscara de carnaval de novela das seis.
DSC_0858


Chuva, chuva, chuva… Ô medalha feia. Nan!

Semana que vem, possivelmente, prova de 15km.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

#42 – II Meia Maratona de Sobral

Metade do ano já se foi e só agora conquistei minha segunda medalha… E foi bem conquistada 😀 Parece que Sobral, definitivamente, tem um calendário de provas. Salvo engano esta foi a quarta prova em 2018 e confirmadas já estão pelo menos mais sete! A de ontem foi a nova queridinha dos corredores sobralenses: a Meia Maratona de Sobral – MMS, em sua segunda edição. Assim como em 2017 , ótimo custo benefício – inscrições entre 30 e 50 reais – e excelente premiação: mais de 36 mil reais. Prêmio em dinheiro, medalha e troféu para os três primeiros em cada distância (masculino e feminino), premiação por categoria, premiação especial para quem reside em Sobral, premiação para cadeirantes e paratletas. Tudo pago na hora. Chegou, ganhou. A divulgação começou um pouco mais cedo que em 2017 e me pareceu melhor: rádio, comercial naquelas TVs de shopping e supermercado, Facebook da prefeitura… No entanto, parece que os corredores demoraram um pouco para se empolgar com o evento. As inscriçõe

#58 – Corrida de 3 anos da Sprint Training

Hoje teve mais uma corridinha em Sobral. Em comemoração ao seu terceiro ano, a Sprint organizou uma corrida festiva nas distâncias de 3km, 5km e 10km. Inscrições custando 50 reais feitas diretamente com os professores da assessoria. Fiz a minha quase no final do prazo… Pensei no bolo de aniversário do ano passado, que tava muito gostoso, e resolvi ir. Kit retirado na noite da sexta-feira, oportunidade para conversar sobre os 100k completados na semana anterior pelo nosso treinador Celso Trindade. Também peguei os kits de duas vizinhas corredoras, Camilla e Lara. No dia seguinte, aproveitando que o sol está nascendo mais cedo nessa época do ano, saímos do nosso distrito às 4h30. Como sábado é dia de longão e a maior distância na corrida seria 10k, resolvemos ir já correndo, para totalizar algo entre 16k e 17k ao final. Abafado muito! Cesário (esq.), Alexandre e eu. Chegamos ao ponto de largada – Arco de Nossa Senhora – por volta das 5h20. Encontramos o povo da assesso

1ª Sprint Kids

Dentro do agitado calendário de corridas em Sobral e também em comemoração ao Dia da Criança, a assessoria Sprint Training organizou uma “corrida de pivetes”, a 1ª Sprint Kids. A divulgação se deu através de redes sociais e as inscrições custaram 30 reais, feitas diretamente com o prof. Wladir. Podiam participar atletinhas de 2 a 13 anos e, claro, os daqui de casa não iam ficar de fora… Na noite de sexta, dia 11 de outubro os kits foram entregues no point da Sprint no Centro de Convenções. Anderson e Wladir estavam lá e retirei sem problemas. No sábado o evento começaria às 6h30. Acordamos as 5h e as 6h10 estávamos na ótima pista de atletismo da Vila Olímpica de Sobral, onde o papai treina algumas vezes. Aliás, a Vila está com a reforma da piscina em andamento e a construção de uma quadra. Céu limpo. Sem uma nuvem sequer. A organização fazia os últimos ajustes na decoração do ambiente. O pessoal dos pula-pulas demorou a chegar – o que acabou atrasando o início do evento – e