Pular para o conteúdo principal

#13 - Circuito das Estações - Etapa Primavera

Duas semanas depois, lá estávamos de novo na Praia de Iracema para mais uma corrida, 16 de agosto de 2015. Terceira etapa do Circuito das Estações.

Tudo da mesma forma de sempre. Vamos pular os detalhes repetitivos, então.

No sábado fui até a casa do Valber para saber se ele iria para a corrida. Ele estava meio na dúvida pelo fato de não ter feito a inscrição, mas como Dirceu e eu iríamos, ele fez o que todo menino de nossa idade faria: resolveu ir. Pipoca? Sim. Mas pipoca consciente. Não foi algo planejado, portanto o convenci de que não era algo errado. Bastava não atrapalhar os que pagaram e pronto.

Largada prevista para as 6h30min. Saímos de casa as 4h30min. Encontramos um bom local para estacionar e fomos para o Calçadão. Que frio! Nem parecia Fortaleza. Estávamos nos tremendo, confesso. Mas o sol raiou e o sonho acabou.

Fui até o stand da O2 - pois sou assinante da revista - exerci meus direitos e depois voltei para perto da largada. Passamos na tenda da Indaiá, pegamos água e fomos para o aquecimento. Como o Valber não estava inscrito, se posicionou do lado de fora do funil de largada e só depois se misturou à multidão. Eu estava no pelotão branco. O último. Meta do dia: mudar de cor para a última etapa do ano.

Quem larga em último tem que ter paciência. Quando se passa pelo relógio lá se foram três ou quatro minutos. Como meu gps apresenta problema quando mudo de cidade, resolvi acioná-lo antes de passar pelo pórtico. Depois fui me policiando, tentando não deixar o pace médio ir além de 7 min/km. 

Uma surpresa depois do quilômetro três: um retorno. Portanto, a prova dos 10 km seria em duas voltas. Bom pelo fato de o retorno ser antes da subida do IML. Talvez ruim pelo fato de não gostar de dar voltas. Nos treinos procuro sempre ir até um determinado local e voltar, fechando a quilometragem ou tempo previsto para o dia.

Ao final da corrida, esqueci de parar o GPS. Além disso, o percurso tinha menos de 10 km. Por isso o tempo do último quilômetro parece ser bem maior.


O pace estava sob controle até chegar o quilômetros 6. Geralmente no sexto ou no sétimo que sempre tendo a dar uma pregada. No sexto, uma ligeira subida para 7:03, mas depois sempre abaixo. 

Hora de usar a rapadura! Sempre levo um tablete na pochete.

Final de prova: tempo de 1h02min43seg para um trajeto (segundo o GPS) de 9.7km. Isso dá um pace médio de 6:28, ou seja, os 10 km seriam feitos em 1h04min40seg. Mais uma quebra de recorde. Além disso, creio que poderei mudar de pelotão na próxima corrida. Veremos.

Só mais uma para completar a mandala.

Ao final, encontrei o Valber e fomos novamente até a tenda da Indaiá para pegar um suquinho. Pipoca que respeita, faz isso. Procura as tendas que distribuem gratuitamente.

Na próxima etapa, Valber irá de maneira oficial.
Agora esperaríamos até o dia 6 de setembro para a I Sky Run, num percurso novo para nós. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

#56 – III Meia Maratona de Sobral

Em comemoração aos 246 anos, a III Meia Maratona de Sobral (MMS). As provas em 2017 e 2018 foram muito boas, com a do ano passado tendo corrigido muitos problemas da de 2017. Porém, esse ano, acho que houve um passo para o lado. Houve alguns pontos diferentes, mas no geral acho que não podemos considerar como melhorias. Em termos de divulgação, fica difícil julgar se foi mesmo adequada pelo fato de que não dá pra esquecer dessa prova: meia maratona em Sobral, no aniversário de Sobral, eu tendo um filho que faz aniversário no mesmo dia que Sobral. Então, fico monitorando pelo site do evento, com os colegas de assessoria, etc. Mas houve divulgação pelo rádio e pelas redes sociais, principalmente com sorteios de cortesias. Foram vários! Aliás, falando em sorteio, nos anos anteriores fui contemplado com cortesia. Porém, como esses sorteios só acontecem bem perto da prova, não dá pra ficar esperando a sorte chegar. Me inscrevo e depois ganho… Mas, quando ganho, doo a cortesia. Esse

#42 – II Meia Maratona de Sobral

Metade do ano já se foi e só agora conquistei minha segunda medalha… E foi bem conquistada 😀 Parece que Sobral, definitivamente, tem um calendário de provas. Salvo engano esta foi a quarta prova em 2018 e confirmadas já estão pelo menos mais sete! A de ontem foi a nova queridinha dos corredores sobralenses: a Meia Maratona de Sobral – MMS, em sua segunda edição. Assim como em 2017 , ótimo custo benefício – inscrições entre 30 e 50 reais – e excelente premiação: mais de 36 mil reais. Prêmio em dinheiro, medalha e troféu para os três primeiros em cada distância (masculino e feminino), premiação por categoria, premiação especial para quem reside em Sobral, premiação para cadeirantes e paratletas. Tudo pago na hora. Chegou, ganhou. A divulgação começou um pouco mais cedo que em 2017 e me pareceu melhor: rádio, comercial naquelas TVs de shopping e supermercado, Facebook da prefeitura… No entanto, parece que os corredores demoraram um pouco para se empolgar com o evento. As inscriçõe

#58 – Corrida de 3 anos da Sprint Training

Hoje teve mais uma corridinha em Sobral. Em comemoração ao seu terceiro ano, a Sprint organizou uma corrida festiva nas distâncias de 3km, 5km e 10km. Inscrições custando 50 reais feitas diretamente com os professores da assessoria. Fiz a minha quase no final do prazo… Pensei no bolo de aniversário do ano passado, que tava muito gostoso, e resolvi ir. Kit retirado na noite da sexta-feira, oportunidade para conversar sobre os 100k completados na semana anterior pelo nosso treinador Celso Trindade. Também peguei os kits de duas vizinhas corredoras, Camilla e Lara. No dia seguinte, aproveitando que o sol está nascendo mais cedo nessa época do ano, saímos do nosso distrito às 4h30. Como sábado é dia de longão e a maior distância na corrida seria 10k, resolvemos ir já correndo, para totalizar algo entre 16k e 17k ao final. Abafado muito! Cesário (esq.), Alexandre e eu. Chegamos ao ponto de largada – Arco de Nossa Senhora – por volta das 5h20. Encontramos o povo da assesso