Pular para o conteúdo principal

#12 - Circuito de Corridas Caixa - Etapa Fortaleza

Foram 45 dias de treinos até o dia 2 de agosto, data da realização da minha 12ª prova.

Minha mãe havia falado que um vizinho nosso, o Valber, também estava participando de algumas corridas. A princípio estranhei, pois sabia que os irmãos dele - Lando e Waguin - corriam. Mas como o Valber tem um biotipo de queniano, não era de se estranhar.

Segundo Dona Núbia, ele estava na II Corrida Gran Marquise. Não só ele como outro vizinho, o Dirceu. Mas esse vai para competir de vera! Treina com assessoria e tudo mais.

Na retirada do kit, acabei encontrando o Valber lá. Nos falamos rapidamente pois ele tinha que voltar para o trabalho, mas basicamente combinamos de combinar mais tarde, a nossa ida à corrida. 

Ah, o local de retirada foi, de novo, a loja Centauro do Iguatemi. Com o mesmo desconto de 10% de sempre. Dessa vez gastei com tênis para o JC.

A entrega de kits foi um pouco confusa, pois a maioria ficou sabendo de um tal termo de responsabilidade que deveria ser entregue assinado. Acho que era algo do tipo: "se eu morrer na prova, a culpa é minha, somente minha" só que escrito com muitas cláusulas e parágrafos. Li rapidamente só para ter certeza de que não tinha algo do tipo "se eu morrer a Caixa pode ficar com o dinheiro da minha conta". Como parecia não ter, assinei. Como não morri na prova, hoje vivo mais tranquilo.

Outro ponto negativo foi o tamanho da camisa. Eu sempre escolho P. Por mais que a P muitas vezes seja ultra P, eu sempre escolho P. É uma forma da camisa não ficar 'roçando' no meu corpo, o que poderia provocar assaduras. Ao conferir o material dentro da sacola, a camisa era M. Voltei para questionar e o rapaz, com aquele risinho malandro, me mostrou que no próprio número de peito tinha M. "Olha aqui, foi você quem escolheu!". Perguntei se era possível trocar, mas ele só balançou a cabeça negativamente. Fazer o quê...

No sábado a tarde, fui até a casa do Valber e combinamos como seria nossa ida no dia seguinte. Especulamos alguns trajetos e no final das contas, escolhemos o que eu já havia feito uma vez. A largada seria do Marina Park e se fossemos cedo, a rua ainda estaria liberada pelo pessoal do balizamento.

A largada estava marcada para as 7h20min. Praticamente meio dia em se tratando de Nordeste. Saímos de casa por volta de 5h, ainda escuro. No entanto, foi a conta certa para pegar uma boa vaga perto da largada. Um flanelinha com camisa do Flamengo - ou seria do Guarany de Sobral? - nos guiou até a vaga e enquanto eu me preparava - número de peito, monitor, boné, óculos, etc - o Valber tratou de pagar a 'taxa de estacionamento'. Nesse dia acho que estava em promoção: 5 reais!

Acompanhamos o Dirceu até a tenda da assessoria KM, conversamos com algumas pessoas e demos uma volta nas outras tendas. Depois, Valber e eu fomos para o aquecimento na quadra de tênis do hotel e chegou a hora da largada. Como meu vizinho iria para a prova dos 5 km, ele meteu o pé na carreira logo. Fui no meu ritmo, mas visando melhorar o tempo de 45 dias atrás. 

O percurso foi praticamente o mesmo de sempre de todas as provas que são realizadas nessa região: sai do Hotel, vai para a subida do IML, volta, vai pela rua dos Tabajaras, Aterro da Praia de Iracema, volta e entra no Hotel. 

O primeiro quilômetro fiz com um tempo de 7:33. Normal, se considerarmos o tráfego do início. A partir dai, vi que nos três quilômetros seguintes mantive um pace abaixo de 7 min/km; mesmo tendo enfrentado a subida do IML nesse trecho. Resolvi manter o passo e tentar apertar um pouco mais a partir do quilômetro 7. Mantive o ritmo nos quilômetros 5 e 6 mas corri o sétimo quilômetro em 7:01. Resolvi aumentar o ritmo um pouco. A vantagem do percurso ser repetitivo é que eu sabia que não haveria grandes problemas dali - Aterro da Praia de Iracema - até a volta ao Hotel. 

Parciais segundo o aplicativo Runkeeper.

Consegui voltar para um ritmo abaixo dos 7 minutos e uma nova quebra de recorde pessoal. Prova realizada em 1h05min. Ok, o GPS marcou apenas 9.8km. Mas isso dá um ritmo médio de 6:42, o que daria um tempo de 1h07min ao fechar os 10 km. Tempo baixado, pois.

No dia da prova distribuíram as viseiras. 

Encontrei o Valber assim que cruzei a linha de chegada. Ele havia feito algo em torno de 25 minutos. Certamente faria os 10 km em menos de uma hora, mas ele ainda estava com receio de dobrar a distância. O Dirceu fez os 10 km em menos de 38 minutos. E eu feliz com um sub 70'... Mas estava mesmo!

Depois de muitos anos, nos reencontramos em uma atividade física. Antes era o futebol nos campinhos da Rua Primeiro de Maio.

Agora era esperar o próximo desafio, a terceira etapa do Circuito das Estações - Primavera, mas sem relaxar nos treinos de velocidade. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

#42 – II Meia Maratona de Sobral

Metade do ano já se foi e só agora conquistei minha segunda medalha… E foi bem conquistada 😀 Parece que Sobral, definitivamente, tem um calendário de provas. Salvo engano esta foi a quarta prova em 2018 e confirmadas já estão pelo menos mais sete! A de ontem foi a nova queridinha dos corredores sobralenses: a Meia Maratona de Sobral – MMS, em sua segunda edição. Assim como em 2017 , ótimo custo benefício – inscrições entre 30 e 50 reais – e excelente premiação: mais de 36 mil reais. Prêmio em dinheiro, medalha e troféu para os três primeiros em cada distância (masculino e feminino), premiação por categoria, premiação especial para quem reside em Sobral, premiação para cadeirantes e paratletas. Tudo pago na hora. Chegou, ganhou. A divulgação começou um pouco mais cedo que em 2017 e me pareceu melhor: rádio, comercial naquelas TVs de shopping e supermercado, Facebook da prefeitura… No entanto, parece que os corredores demoraram um pouco para se empolgar com o evento. As inscriçõe

#58 – Corrida de 3 anos da Sprint Training

Hoje teve mais uma corridinha em Sobral. Em comemoração ao seu terceiro ano, a Sprint organizou uma corrida festiva nas distâncias de 3km, 5km e 10km. Inscrições custando 50 reais feitas diretamente com os professores da assessoria. Fiz a minha quase no final do prazo… Pensei no bolo de aniversário do ano passado, que tava muito gostoso, e resolvi ir. Kit retirado na noite da sexta-feira, oportunidade para conversar sobre os 100k completados na semana anterior pelo nosso treinador Celso Trindade. Também peguei os kits de duas vizinhas corredoras, Camilla e Lara. No dia seguinte, aproveitando que o sol está nascendo mais cedo nessa época do ano, saímos do nosso distrito às 4h30. Como sábado é dia de longão e a maior distância na corrida seria 10k, resolvemos ir já correndo, para totalizar algo entre 16k e 17k ao final. Abafado muito! Cesário (esq.), Alexandre e eu. Chegamos ao ponto de largada – Arco de Nossa Senhora – por volta das 5h20. Encontramos o povo da assesso

1ª Sprint Kids

Dentro do agitado calendário de corridas em Sobral e também em comemoração ao Dia da Criança, a assessoria Sprint Training organizou uma “corrida de pivetes”, a 1ª Sprint Kids. A divulgação se deu através de redes sociais e as inscrições custaram 30 reais, feitas diretamente com o prof. Wladir. Podiam participar atletinhas de 2 a 13 anos e, claro, os daqui de casa não iam ficar de fora… Na noite de sexta, dia 11 de outubro os kits foram entregues no point da Sprint no Centro de Convenções. Anderson e Wladir estavam lá e retirei sem problemas. No sábado o evento começaria às 6h30. Acordamos as 5h e as 6h10 estávamos na ótima pista de atletismo da Vila Olímpica de Sobral, onde o papai treina algumas vezes. Aliás, a Vila está com a reforma da piscina em andamento e a construção de uma quadra. Céu limpo. Sem uma nuvem sequer. A organização fazia os últimos ajustes na decoração do ambiente. O pessoal dos pula-pulas demorou a chegar – o que acabou atrasando o início do evento – e