Pular para o conteúdo principal

#08 - 13ª Meia Maratona de Fortaleza

E já tinha se passado um ano...

Um ano que eu tinha começado a participar de corridas de rua. Na verdade, ir para esses eventos era uma forma de continuar treinando. Sem objetivos específicos, fica mais difícil pra mim, confesso.

Como '1 ano' é uma data dita 'redonda', não poderia deixar de participar de uma corrida nesta data, 12 de abril. Ainda mais sendo a mesma prova: a Meia Maratona de Fortaleza.

Desde fevereiro, acho, acompanhava o site no qual seriam realizadas as inscrições. Assim que começaram, me inscrevi. Salgado! Cem reais. Mas, era uma data especial. Como já tinha economizado em seis provas, achei que compensaria.

Nesse intervalo de tempo entre a prova do dia 29 de março e a Meia Maratona de Fortaleza (MMF), descobri grupos no Facebook de corredores de rua de Fortaleza. Comecei a participar de uns dois ou três e vi que a queixa com relação a esta prova estava grande.

Eu, sinceramente, estava achando um exagero do pessoal, pois ano passado lembro de como foi legal desde a entrega do kit - exposição, avaliação física, stands, lanche, etc - até a prova. Então, só observava as postagens e comentários.

Próximo à prova, a primeira surpresa: não entregariam kits no sábado. Achei estranho, pois vem muita gente de fora e esse pessoal, para menores despesas, chega um dia antes. Para mim não tinha problema, pois sempre chego na quinta à Fortaleza.

Também mudaram o local da entrega do kit. Agora seria no Ginásio Paulo Sarasate. Ora, a primeira coisa que me veio à cabeça é de que o setor do Marina Park utilizado no ano de 2014 seria pequeno para o ano de 2015. Então, fazia todo o sentido ser no Ginásio. Ledo engano...

Ao chegar no local divulgado, achei que tinha errado de endereço. Deserto. Mas obviamente que não se confunde um Ginásio daquele tamanho. Confirmei com o porteiro e era lá mesmo. 

Uma senhora vendia alimentos na entrada. Como eu tinha esquecido desse detalhe, foi uma boa. Eram dois quilos esse ano.

Ao entrar no Ginásio, pequenas filas. Mesmo assim, os colaboradores pareciam bastante tensos. Irritados, até. Uma grande demora para entregar o poderoso kit composto por sacola de plástico, camisa G, número de peito e chip. Nada de carro para sorteio. Nada de stand da Asics. Nada de avaliação física. Nada de lanchinho. O clima era de velório! 

Logo muito bonita, mas o material da camisa deixou a desejar.
Sempre participo com a camisa fornecida pelo evento. Mas com essa não ia dar. Muito grande e o tecido era grosso. No grupo do Facebook diziam que era como camisa de campanha política... Reparei que tiraram o "internacional", que tinha na prova de 2014. Hum, sei não...

Resolvi ir com a camisa invocada do Circuito das Estações. Coloquei uma camisa manga longa por baixo para me proteger do sol. A largada estava marcada para as 6h15min, então cheguei no local por volta de 4h30min. Estacionei bem de frente ao portão de acesso à largada. Massa, mas antes que eu descesse do carro, veio o dono do pedaço e disse "aqui nós cobra dez reais, patrão" e já veio me entregando um cartão com o nome 'pago - 10 reais'. Como naquele momento não estava nem acordado direito ainda, paguei.

Fiquei na tenda onde seria o Guarda-Volumes me protegendo da chuva e observando o amanhecer.

Já um pouco antes de eu chegar no local, começara a chover. Era uma chuva moderada, digamos, e contínua. Muita água. O bom seria que não haveria aquele sol brabo de quinze dias atrás, mas por outro lado, estava muito abafado. Foi mais ou menos bom, no final das contas.

A chuva também acabou atrasando a largada em cerca de 15 minutos. 

Não havia tanta gente como em 2014. Em parte pela chuva, mas acho que principalmente pelo que estava se anunciando nos grupos do Facebook dias antes. Preço alto para uma prova com tantos patrocínios.

O percurso dos 10 km foi um pouco confuso. Havia um ponto de retorno onde os corredores estavam literalmente trombando. Uma esquina próximo à rua dos Tabajaras onde não era possível ver quem vinha. E esse ponto de retorno não valia para o pessoal dos 21 km, mas alguns não foram informados. Assim como alguns participantes dos 10 km passaram direto...

Quem sobrevivia a esse retorno e estava na prova de 10 km, passaria pelo Mercado Central, Catedral, Praça dos Leões e Parque das Crianças, sendo que neste trecho, simplesmente não havia balizamento nem o pessoal do 'staff'. Água, então... O primeiro ponto de hidratação foi entre os quilômetros 3 e 4. Depois, só no sétimo. Voltamos pela Barão do Rio Branco - muito alagada - até chegar no Passeio Público e Encetur. Descemos pelo viaduto da Leste-Oeste e fomos para o pior trecho; a subida do IML. Depois, retornamos (agora descida do IML) até o Marina Park.

No último trecho, isto é, últimos três quilômetros, havia três pontos de hidratação. Portanto, para quem estava nos 5 km, água não foi problema. E a prova quase inteira debaixo de chuva. Não forte, mas constante.

Ao final da prova, tempo de 1h20min. Péssimo... Talvez fosse reflexo de provas muito próximas umas das outras (era a terceira em um mês) ou do clima abafado. 

Só depois dessa foto reparei que tiraram o "internacional" desta prova.

Lembro que no ano de 2014, tinha Powerade para os concluintes. Dessa vez, suco da Indaiá... 

Somando tudo: não gostei da organização da prova. Valeu para comemorar um ano de corridas, mas por esse preço e com essa logística complicada, não compensam tanto. Posso comemorar qualquer data correndo em qualquer lugar.

Agora era esperar os próximos desafios: a II Corrida Gran Marquise e a famosa Night Run, com intervalo de uma semana entre elas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

#42 – II Meia Maratona de Sobral

Metade do ano já se foi e só agora conquistei minha segunda medalha… E foi bem conquistada 😀 Parece que Sobral, definitivamente, tem um calendário de provas. Salvo engano esta foi a quarta prova em 2018 e confirmadas já estão pelo menos mais sete! A de ontem foi a nova queridinha dos corredores sobralenses: a Meia Maratona de Sobral – MMS, em sua segunda edição. Assim como em 2017 , ótimo custo benefício – inscrições entre 30 e 50 reais – e excelente premiação: mais de 36 mil reais. Prêmio em dinheiro, medalha e troféu para os três primeiros em cada distância (masculino e feminino), premiação por categoria, premiação especial para quem reside em Sobral, premiação para cadeirantes e paratletas. Tudo pago na hora. Chegou, ganhou. A divulgação começou um pouco mais cedo que em 2017 e me pareceu melhor: rádio, comercial naquelas TVs de shopping e supermercado, Facebook da prefeitura… No entanto, parece que os corredores demoraram um pouco para se empolgar com o evento. As inscriçõe

#58 – Corrida de 3 anos da Sprint Training

Hoje teve mais uma corridinha em Sobral. Em comemoração ao seu terceiro ano, a Sprint organizou uma corrida festiva nas distâncias de 3km, 5km e 10km. Inscrições custando 50 reais feitas diretamente com os professores da assessoria. Fiz a minha quase no final do prazo… Pensei no bolo de aniversário do ano passado, que tava muito gostoso, e resolvi ir. Kit retirado na noite da sexta-feira, oportunidade para conversar sobre os 100k completados na semana anterior pelo nosso treinador Celso Trindade. Também peguei os kits de duas vizinhas corredoras, Camilla e Lara. No dia seguinte, aproveitando que o sol está nascendo mais cedo nessa época do ano, saímos do nosso distrito às 4h30. Como sábado é dia de longão e a maior distância na corrida seria 10k, resolvemos ir já correndo, para totalizar algo entre 16k e 17k ao final. Abafado muito! Cesário (esq.), Alexandre e eu. Chegamos ao ponto de largada – Arco de Nossa Senhora – por volta das 5h20. Encontramos o povo da assesso

1ª Sprint Kids

Dentro do agitado calendário de corridas em Sobral e também em comemoração ao Dia da Criança, a assessoria Sprint Training organizou uma “corrida de pivetes”, a 1ª Sprint Kids. A divulgação se deu através de redes sociais e as inscrições custaram 30 reais, feitas diretamente com o prof. Wladir. Podiam participar atletinhas de 2 a 13 anos e, claro, os daqui de casa não iam ficar de fora… Na noite de sexta, dia 11 de outubro os kits foram entregues no point da Sprint no Centro de Convenções. Anderson e Wladir estavam lá e retirei sem problemas. No sábado o evento começaria às 6h30. Acordamos as 5h e as 6h10 estávamos na ótima pista de atletismo da Vila Olímpica de Sobral, onde o papai treina algumas vezes. Aliás, a Vila está com a reforma da piscina em andamento e a construção de uma quadra. Céu limpo. Sem uma nuvem sequer. A organização fazia os últimos ajustes na decoração do ambiente. O pessoal dos pula-pulas demorou a chegar – o que acabou atrasando o início do evento – e